LeituraO que se aprende com a “Menina que roubava livros”?

13 de abril de 2017

Em tempos de guerra, havia uma menina chamada Liesel na história do autor Markus Zusak. Liesel foi uma menina que passou por diversos problemas ao longo de sua vida, mas ao mesmo tempo aprendeu a tirar boas experiências ao som de um acordeon e de palavras. Sim, palavras. Aprendi com ela, e com os demais...

Em tempos de guerra, havia uma menina chamada Liesel na história do autor Markus Zusak.

Liesel foi uma menina que passou por diversos problemas ao longo de sua vida, mas ao mesmo tempo aprendeu a tirar boas experiências ao som de um acordeon e de palavras. Sim, palavras.

Aprendi com ela, e com os demais personagens da história, que cada ação tem um profundo significado em nós e em outros. Cada momento que dividimos, é uma imensidão de sentimentos, mesmo aqueles que vivemos apenas com nós mesmos. Para Liesel, foi a sua coleção de livros, ouvir o acordeon e tomar a mesma sopa rala quase todos os dias que a fez se salvar de seus momentos sombrios. Mas será que ela sabia a importância que as palavras e esses momentos fizeram em sua vida?

Bom, se você ficou com curiosidade te respondo que sim, ela sabia.

Liesel não sabia ler quando roubou o seu primeiro livro, mas isso não a impediu de se interessar pelo que ele poderia significar para ela. E significou tudo.

O livro, basicamente, te coloca em conflito com o que é correto, porque num primeiro momento parece errado roubar livros, mas no contexto geral da história de Liesel, foi o ato mais honesto que poderia acontecer. Posso defendê-la, também, afirmando que ela tinha o intuito de devolver, mas não teve a oportunidade.

De maneira geral, “A menina que roubava livros” nos faz perceber que podemos fazer o que é certo, mesmo quando parece ser errado. E, acredite, é muito difícil simplificar toda a imensidão presente dentro dessas palavras. Há muito mais que eu gostaria de contar sobre essa menina. Mas também aprendi com ela que algumas palavras não precisam ser ditas, elas precisam ser lidas e guardadas dentro do enorme significado que criam dentro da gente.

“As palavras são vida, Liesel.”

Espero que essa história tenha espaço para a sua imensidão, ao som do acordeon e de uma sopa quente também, é claro.

 

Compartilhe nas redes:

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.

Compartilhe nas redes: