LeituraLivro ou filme?

25 de maio de 2017

Discussão clássica: o que é melhor, o filme ou o livro? Pera lá, não tem como alguém pensar em me comparar com um monte de sequência de cenas filmadas e projetadas numa telona ou telinha pra você. Não acha? Sério que não? Bom, vou te mostrar porque eu tenho certeza que a minha bruxaria e...

Discussão clássica: o que é melhor, o filme ou o livro? Pera lá, não tem como alguém pensar em me comparar com um monte de sequência de cenas filmadas e projetadas numa telona ou telinha pra você. Não acha? Sério que não?

Bom, vou te mostrar porque eu tenho certeza que a minha bruxaria e o seu amor por mim é muito mais forte que os vídeos.

O nosso “amigo” filme te obriga a ficar lá mais ou menos 90 minutos para o ver, e é isso. Você não tem opção. É como se sua mãe te pusesse de castigo por 1h exata dentro do quarto. Calma, ainda faltam 10 minutos pra sair. Espera, faltam 5 min. 30 segundos. Agora pode levantar, vai! Já no meu caso, deixo você livre, leve e solto. Pode dar uma paradinha e voltar quando quiser que to aqui te esperando, posso deixar você vivendo minha história intensamente por dias, semanas e alguns casos até meses. E o melhor, tudo depende de você. Tô sempre aqui pra você. 🙂

Os filmes precisam apelar. Eles usam um monte de sons, imagens, movimentos, efeitos especiais, pessoas famosas desse mundo de vocês e, vejam só, precisam até de música especial para marcar os momentos mais marcantes. Comigo é diferente, a minha arma é só uma, a minha bala de prata é a linguagem. Te faço sentir mais medo, mais paixão, mais ódio, mais angústia, mais raiva e mais amor só com as palavras. Comigo tudo isso é muito forte.

Mas sabe o que é pior? Eles não acreditam na sua imaginação, já percebeu isso? Acham que para você entender, ele precisa te entregar tudo de mão beijada. Chegam a se desdobrar usando computadores para te enviar cenas que não existem no mundo de vocês. Tudo isso pra te impressionar. Quanta audácia! Eu confio em você, na sua imaginação e nisso aí que fica pendurado no topo do seu corpo pra te levar onde quiser. Basta eu dar umas pinceladas em alguns personagens, suas características e personalidades que pronto, o que os estúdios e milhares de pessoas levam dias para fazer, você faz em segundos. E no melhor lugar que tem pra viver: a sua imaginação.

Na maioria das vezes eu sou a origem. Eles precisam ver o quanto eu sou bom para aí sim resolverem fazer a película. É uma dependência que me deixa com raiva. E o pior é que eles NUNCA fazem o trabalho direito. Poxa, eu tenho cuidado, tudo ali foi muito pensando,  eu conto um monte de detalhes e eles nunca acertam. Um dos meus bebês que tanto amo é o primeiro Harry Potter que fiz. Eu demorei dias para inventar o grande pirraça e suas brincadeiras, e sabe o que eles fizeram? Simplesmente excluíram ele. Isso me dá raiva, sei que dá em você também.

Uma coisa eu sei que temos em comum e tenho que admitir: deixamos boas memórias e lembranças em vocês. Mas sabe como é, né? Minhas lembranças são muito melhores. Se não tiverem já estragado tudo e feito o filme, a sua lembrança continua intacta, do jeito que você imaginou e criou. E dessa forma ela dura pra sempre, o seu personagem é o seu personagem, único. Aquela cena está na sua cabeça e de mais ninguém. Eu consigo fazer com que cada um de vocês tenha uma lembrança diferente, e isso, meus amigos, não tem preço.

Mas me conte aí, o que você prefere? Eu ou os filmes?

Compartilhe nas redes:

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.

Compartilhe nas redes: