EducaçãoImplementação de BNCC: o que muda nas escolas?

8 de outubro de 2018

Embora a passos lentos, finalmente vemos uma mudança estrutural na educação brasileira. Desde o início da aplicação do Enem, educadores passaram a discutir de modo mais aprofundado o tema das competências. Porém, é provável que o esforço recente para a implementação da BNCC oficialize de modo mais contundente as mudanças nos currículos. Quer entender o...

Embora a passos lentos, finalmente vemos uma mudança estrutural na educação brasileira. Desde o início da aplicação do Enem, educadores passaram a discutir de modo mais aprofundado o tema das competências.

Porém, é provável que o esforço recente para a implementação da BNCC oficialize de modo mais contundente as mudanças nos currículos. Quer entender o que muda, de fato, nas escolas? Então, não perca este artigo!

Os objetivos da implementação de BNCC

A propaganda oficial do governo afirma que a criação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) tem por objetivo reduzir as diferenças entre o ensino público e privado no Brasil. Sabemos que, infelizmente, existe uma discrepância entre o desempenho de estudantes desses dois sistemas, exceto em alguns casos bastante pontuais.

Porém, ao analisar a proposta da BNCC, percebe-se que ela permite fazer mais do que isso. Suas diretrizes, se bem aplicadas, ressignificam o papel dos conteúdos na escola. Dessa forma, a Base promove uma maior qualidade não só do compartilhamento do conhecimento, mas especialmente no fato de que o conteúdo deixa de ser um fim de si mesmo e se torna um meio para desenvolver competências.

Como já falamos, desde a criação do Enem os educadores tentam se aprofundar no estudo das competências. Entretanto, talvez a forma como esse tema veio à tona no Brasil não tenha sido a mais eficaz. Afinal, primeiro elas foram usadas como o conceito central de uma avaliação nacional para, muito tempo depois, terem uma sistematização que permita uma aplicação coerente em sala de aula.

O papel das áreas, disciplinas e competências no BNCC

Para tornar este debate mais concreto, vamos falar de alguns componentes e competências estabelecidos pela Base. Em primeiro lugar, antes de pensarmos no conceito de disciplina, precisamos compreender que elas estão inseridas em cinco grandes áreas do conhecimento: Linguagem, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Ensino Religioso.

Cada uma dessas áreas engloba diversas disciplinas. Em linguagem, por exemplo, temos Língua Portuguesa, Artes, Educação Física e Inglês. A partir dessa divisão, espera-se que a escola realize ações no sentido de promover o desenvolvimento de determinadas competências no aluno. Falando de forma específica da Língua Portuguesa, a Base propõe as seguintes competências:

  • compreender a linguagem humana como construção histórica e social;
  • conhecer e explorar diferentes práticas de linguagem e diferentes campos de atividade;
  • utilizar diferentes linguagens: verbal, oral, não verbal e escrita;
  • utilizar diferentes linguagens para atuação crítica;
  • desenvolver o senso estético;
  • compreender e utilizar tecnologias digitais dentro de uma produção social.

Portanto, nessa nova concepção o foco não é fazer com que o aluno se aproprie de conceitos linguísticos de forma mecânica. Ele precisa entender como o autor utiliza cada palavra, cada recurso e cada tipo de construção para produzir a ideia desejada e provocar a reflexão do leitor. Assim, ele entende a comunicação como uma atividade intencional e adquire a capacidade de recebê-la criticamente e usá-la de forma efetiva.

Os desafios da implementação de BNCC

Como você pode perceber, não se trata simplesmente de uma lista de conteúdos que serão abordados em cada etapa de ensino, mas de ressignificar sua finalidade e abordagem. Esse é o principal desafio que as escolas enfrentam hoje. Afinal, a implementação da BNCC exige, para muitos educadores, um novo olhar para a construção do currículo.

Por isso, é fundamental recorrer a todos os recursos disponíveis. O Governo Federal, por meio do MEC, criou um programa para apoiar a implementação da BNCC. No entanto, as escolas têm também outras opções à sua disposição. Atualmente, existem empresas especializadas a viabilizar a aplicação desses conceitos na sala de aula e a simplificar a inserção de educadores e estudantes nesse novo modelo.

Um exemplo é a Guten, uma solução digital que traz os conteúdos da atualidade para a sala de aula, em um formato interativo que desafia os alunos, promove o desenvolvimento da competência leitora de forma dinâmica e desafiadora.

Quer entender como a Guten funciona e como ela pode contribuir para que a sua escola vença os desafios da implementação de BNCC e consiga impulsionar o desenvolvimento de competências em seus estudantes? Converse com a nossa equipe e conheça o projeto. Aguardamos seu contato!

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.