LeituraUm tesouro natural no fundo do Amazonas

22 de fevereiro de 2017

Penso em como deve ser excitante fazer parte de uma expedição que resulte em descobertas científicas. Na edição 90 do Guten News, contamos a história de um grupo de pesquisadores que explorou o fundo do rio Amazonas para comprovar a existência de uma barreira de corais até então desconhecida. Encontraram uma estrutura imensa, com área...

Penso em como deve ser excitante fazer parte de uma expedição que resulte em descobertas científicas. Na edição 90 do Guten News, contamos a história de um grupo de pesquisadores que explorou o fundo do rio Amazonas para comprovar a existência de uma barreira de corais até então desconhecida. Encontraram uma estrutura imensa, com área equivalente à metade do Estado de Sergipe. Um tesouro natural único no mundo, repleto de espécies de esponjas e peixes. O trabalho dos exploradores abriu novos campos de pesquisa nas áreas de biologia e geologia, mas foi ainda mais importante por conta de um alerta: a área dos corais amazônicos está na mira de empresas de extração de gás e petróleo.

Outro texto dessa edição também fala sobre ameaças ao meio ambiente. A purpurina usada por milhares de foliões nas festas de Carnaval pode prejudicar o equilíbrio de rios e oceanos. Isso porque ela é feita de microplásticos, material que atrapalha a fotossíntese das algas e é engolido por peixes, tartarugas e outros animais. Além disso, o produto leva vários anos para se decompor. Aproveitando o gancho carnavalesco, falamos ainda sobre a indústria de penas naturais para fantasias, um negócio que movimenta milhões de dólares às custas de animais que sofrem muito com esse processo. É possível pensar em um Carnaval mais sustentável?

A natureza é foco de mais duas pautas da semana. Na Rússia, um pescador ficou famoso por fotografar peixes e outros animais raros e bizarros que encontra em suas redes. É uma prova de que os oceanos ainda nos reservam surpresas. No Brasil, duas estudantes desenvolveram uma farinha feita com baratas trituradas para mostrar que insetos, tão abundantes no mundo, podem virar alimentos nutritivos. Comer insetos é algo que a Organização das Nações Unidas incentiva como forma de aliviar a escassez de alimentos no planeta.

Para fechar a edição, apresentamos ao amigo leitor o novo, moderno e estiloso traje espacial que os astronautas americanos usarão a partir de 2018. Chamado de Boeing Blue por causa da cor azul, a roupa é mais maleável e quase cinco quilos mais leve que os equipamentos atuais. Um dos objetivos dos desenvolvedores era deixar os astronautas mais confortáveis e menos “inflados” dentro da aeronave. Ao que tudo indica, a missão foi cumprida.

Espero que seja uma leitura divertida e enriquecedora. Até a próxima!

 

Compartilhe nas redes:

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.

Compartilhe nas redes: