LeituraQuadrinhos combinam com literatura na escola?

20 de novembro de 2015

Incentivar a leitura em crianças e jovens é tarefa que ainda se encontra por solucionar, principalmente tendo em vista o papel da escola como catalisadora do processo educativo. Por isso, encontrar dispositivos novos que auxiliem o trabalho de professores em sala de aula é sempre bem-vindo. No que se refere à literatura na escola, tem-se...

Incentivar a leitura em crianças e jovens é tarefa que ainda se encontra por solucionar, principalmente tendo em vista o papel da escola como catalisadora do processo educativo. Por isso, encontrar dispositivos novos que auxiliem o trabalho de professores em sala de aula é sempre bem-vindo. No que se refere à literatura na escola, tem-se hoje um importante aliado: as histórias em quadrinhos ou, como também são conhecidas, as HQs.

Teóricos da literatura ainda debatem a pertinência de considerar histórias em quadrinhos como gênero literário, mas as HQs de fato apresentam semelhanças com a arte literária, pois se trata de uma narrativa com começo, meio e fim, normalmente impressa em formato brochura, o que as aproxima do formato de livro tradicional.

No artigo de hoje debateremos se quadrinhos combinam ou não com literatura na escola. Confira!

Características dos quadrinhos

Por diversos aspectos comuns ao gênero, as HQs são uma forma eficiente de entrada no universo da leitura para crianças que ainda estão construindo-se como leitores. O fato de a palavra estar acompanhada de um discurso visual, com muitas ilustrações coloridas, torna lúdico o ato da leitura e também mais ágil. Palavras e imagens se unem para compor histórias que em um livro tradicional necessitariam de um nível maior de abstração — o qual muitas vezes ainda escapa à criança.

Em se tratando desse gênero, os quadrinhos, o lúdico caminha ao lado de um anseio da sociedade contemporânea, qual seja o gosto pelas imagens. Com gerações cada vez mais hipnotizadas por telas repletas de imagens rápidas e significados condensados, as HQs abrem uma porta para a leitura se vincular a um universo visual que atrai pela sua estética arrojada.

Histórias em quadrinhos atuais, inclusive, já investem em elementos como alto-relevo e gradações de cores de alta definição para atrair novos leitores para seu universo. Porém, o mais importante ainda permanece sendo a criação de uma história atraente, com momentos de clímax marcantes que incentivem o jovem leitor a continuar sua jornada pelas palavras.

Incentivando a literatura na escola

Em sala de aula, o recurso a esse tipo de leitura pode ajudar na interpretação de texto, contando com um leque amplo de opções na hora de escolher uma obra para esmiuçar com os alunos.

O mercado brasileiro, por exemplo, evoluiu consideravelmente desde a criação da “Turma da Mônica”, por Maurício de Sousa em 1959, e hoje possui editoras especializadas no gênero, fornecendo títulos diversos, inclusive com encartes para trabalhos de cunho didático-pedagógico.

Por conta da oferta ampla no mercado de HQs é possível investir em bibliotecas temáticas nas escolas para abarcar histórias destinadas a diversas faixas etárias e com temáticas que podem ir de meio ambiente até discussões políticas atuais. É preciso ressaltar, no entanto, que o uso desses textos deve vir acompanhado de uma abordagem contextualizada pelo professor na qual o aluno sinta-se instigado a também procurar outras narrativas literárias que enriqueçam seu intelecto.

Com uma aproximação didática ao universo dos livros deixa-se explícito o quanto a literatura na escola é uma parceira divertida na hora de aprender.

Conte suas experiências de leitura com as histórias em quadrinhos e como elas te ajudaram a gostar de ler. Queremos saber sua opinião sobre o assunto!

Compartilhe nas redes:

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.

Compartilhe nas redes: