LeituraÁrvore entrevista Tonia Casarin, autora do livro “Tenho monstros na barriga”

6 de setembro de 2017

Acabou de chegar na plataforma da Árvore, o livro “Tenho monstros na barriga”, escrito pela autora Tonia Casarin, e que foi pensado para ajudar pais e professores a envolverem as crianças para que elas aprendam a identificar seus sentimentos. O livro busca não só aumentar essa consciência a respeito do desenvolvimento das habilidades sociais e emocionais,...

Acabou de chegar na plataforma da Árvore, o livro “Tenho monstros na barriga”, escrito pela autora Tonia Casarin, e que foi pensado para ajudar pais e professores a envolverem as crianças para que elas aprendam a identificar seus sentimentos. O livro busca não só aumentar essa consciência a respeito do desenvolvimento das habilidades sociais e emocionais, mas também traz atividades e brincadeiras interativas para os pequenos!
Convidamos a autora para um bate-papo super bacana, onde ela falou sobre o processo de criação e sobre como é importante levar a sério o assunto. Confira:
Árvore: De onde veio a ideia de escrever o livro “Tenho monstros na barriga”?
Tonia: A ideia veio pois precisamos, na vida adulta, ter inteligência emocional e social, mas por que não começar a desenvolver essas competências, conhecidas no mundo da educação como competências socioemocionais, desde cedo? Portanto, decidi desenvolver um livro que pudesse ser uma ferramenta para pais e professores ajudarem as crianças a identificarem suas emoções, o primeiro passo para a alfabetização emocional.
Árvore: Qual é a importância de identificar os sentimentos e saber lidar com eles já na infância?
Tonia: Identificar suas próprias emoções é o primeiro passo para o desenvolvimento da inteligência emocional, ajuda a desenvolver a consciência e, assim, ajuda a criança a entender o que está acontecendo com ela.
Árvore: Qual o papel dos pais no desenvolvimento da inteligência emocional dos filhos?
Tonia: Os pais são os primeiros professores das crianças. A educação não acontece somente na escola. A casa é o ambiente em que outras relações acontecem e os pais são exemplos para seus filhos. Daí a importância de dar essa ferramenta para os pais também.
Árvore: Como é possível trabalhar as emoções dentro da sala de aula?
Tonia: Temos emoções o tempo todo. A sala de aula é um lugar em que muitas dessas emoções sµao afloradas. Se o professor conseguir construir um espaço seguro dentro de sala para que as crianças possam se expressar, é possível trabalhar o bullying, por exemplo, como fez a professora Izabel Soares de Souza.
Recebo muitas ideias diariamente de professores que trabalham as emoções em sala de aula.
Árvore: Que dicas você daria para pais e/ou professores que querem começar a educar emocionalmente as crianças e que benefícios eles podem enxergar ao fazer isso?
Tonia: Comece nomeando as emoções dos pequenos e perguntando o que eles sentiram. Aproveite para contar o que você está sentindo ou ainda, quando você tinha a idade da criança, o que você sentia. Troque, converse e expresse você também. Lembre que os adultos são exemplos para as crianças.

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.