EducaçãoVolta às aulas

22 de setembro de 2016

As aulas começaram e depois de um merecido descanso, é preciso tirar os livros do armário para recomeçar a rotina escolar. Tudo pronto para começar o semestre com o pé direito, professor? Retomar o conteúdo depois um mês de recesso pode ser um desafio. Diferentemente do que acontece após as férias de fim de ano, que...

As aulas começaram e depois de um merecido descanso, é preciso tirar os livros do armário para recomeçar a rotina escolar. Tudo pronto para começar o semestre com o pé direito, professor? Retomar o conteúdo depois um mês de recesso pode ser um desafio. Diferentemente do que acontece após as férias de fim de ano, que são mais extensas, depois das férias de julho os alunos ainda possuem alguma facilidade em lembrar dos conteúdos trabalhados anteriormente, mas é preciso saber como conduzir esse processo de retomada. Para descobrir como fazer essa abordagem, a equipe da Guten visitou a Escola Santi, na zona sul de São Paulo, e acompanhou uma aula de Língua Portuguesa do 4° ano, ministrada pela professora Daniela Venturi.

A escola adota um sistema trimestral, por isso, a educadora deu seguimento ao conteúdo iniciado em junho. Na aula, foi retomado o projeto “Conto de Suspense”, um trabalho iniciado logo antes das férias e que vai ser estendido até o fim do ano letivo. A proposta é que os estudantes produzam uma narrativa de suspense. Mas, antes de tudo, a professora reforçou as características desse tipo de texto para ambientá-los quanto ao assunto. Tudo isso de uma forma dinâmica, perguntando para os próprios alunos, que aos poucos lembravam da matéria de forma participativa. “Hoje, nós vamos fazer uma conversa sobre quais características que a gente lembra de um conto de suspense”, disse Daniela aos alunos.

A ideia é que eles criem repertório de como escrever um conto de suspense.

Foram retomados os elementos do texto, a importância do cenário e das personagens e que finais são possíveis nesse tipo de história. “A ideia é que eles criem repertório de como escrever um conto de suspense”, explica a educadora. Além disso, para vivificar a memória dos estudantes, ela realizou a leitura do conto peruano “Tesouro Enterrado”. Previamente, Daniela combinou com os alunos que iria bater na mesa, quando fosse necessário grifar as partes que mais causavam suspense.

O dinamismo da aula permitiu que os alunos entrassem no tema de forma gradual. Ao final do período, eles também preencheram uma tabela com as características do conto, como por exemplo, o nome e local da história, a descrição dos personagens, a trama central e como foram os desdobramentos finais.

Outra forma de engajar os alunos no retorno à rotina escolar e que já está programado pela professora é fomentar atividades em duplas, algo agendado para as próximas aulas sobre produções do conto de suspense. “Os alunos sentam juntos e conversam um pouco para retomar as estratégias utilizadas. Eu deixo um pouco na mão deles, porque eles também já têm uma certa autonomia”, destaca a educadora.

shutterstock_238623634
Créditos: Shutterstock

Bônus!

Eu sempre peço para os alunos trazerem dicas do que assistiram, tem um lado mais descontraído no sentido do retorno.

Além do que foi praticado em sala e do que estava no planejamento das aulas de Língua Portuguesa da Escola Santi, a professora ainda deu mais uma dica para os educadores que buscam descobrir maneiras de engajar seus alunos no início do segundo semestre. Segundo ela, as experiências das férias também podem fazer parte das aulas. “Eu sempre peço para os alunos trazerem dicas do que assistiram, tem um lado mais descontraído no sentido do retorno”, aponta a educadora. O professor pode, por exemplo, fazer uma dinâmica com os alunos, pedindo que eles comentem sobre os livros e filmes que assistiram no mês de julho.

Além disso, é possível retomar assuntos de atualidades que ocorreram nesse período de descanso. No semestre passado, por exemplo, houve os preparativos para a Olimpíada Rio 2016. O educador também tem que reservar um espaço na sua agenda para orientar os estudantes quanto ao planejamento dos conteúdos. Situá-los é uma forma de fazê-los incorporar o ritmo das aulas mais rapidamente.“Comunicar os alunos sobre as etapas dos projetos é fundamental”, enfatiza a professora.

A diretora pedagógica da Guten, Leticia Reina, ressalta a importância do planejamento compartilhado com o aluno, conforme explicado pela professora Daniela. “O aluno ter clareza do objetivo do trabalho e das habilidades que ele desenvolverá ao longo das atividades é fundamental para a apropriação do conhecimento!”.

A equipe Guten deseja um ótimo início de semestre a todos os educadores!

Compartilhe nas redes:

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.

Compartilhe nas redes: