EducaçãoMundo globalizado: veja os benefícios da educação bilíngue nas escolas!

24 de abril de 2019

A habilidade de comunicação é fundamental para os indivíduos, visto que somos seres sociais. Em um mundo globalizado, isso envolve não só o domínio da língua materna, mas também a possibilidade de estabelecer contato com pessoas que falam outros idiomas e realizar trocas culturais ou comerciais significativas. Nesse contexto, a educação bilíngue ganha destaque. Ela...

A habilidade de comunicação é fundamental para os indivíduos, visto que somos seres sociais. Em um mundo globalizado, isso envolve não só o domínio da língua materna, mas também a possibilidade de estabelecer contato com pessoas que falam outros idiomas e realizar trocas culturais ou comerciais significativas.

Nesse contexto, a educação bilíngue ganha destaque. Ela se propõe a familiarizar as crianças com um outro idioma desde os primeiros anos de vida. Essa proposta tem uma série de vantagens que se manifestam não só nas oportunidades profissionais da vida adulta, mas no próprio desenvolvimento cognitivo dos estudantes.

Quer conhecer melhor os benefícios da educação bilíngue?  Vamos falar sobre o tema neste post! Então, continue a leitura e saiba quais são as principais razões para implementá-la na escola!

Benefícios da educação bilíngue

Muitas vezes, quando se fala em educação bilíngue, destaca-se naturalmente o diferencial competitivo que os falantes de dois idiomas têm no mercado de trabalho. No entanto, existem outras vantagens de ensinar diferentes línguas às crianças. Veja as principais.

Favorece o desenvolvimento cognitivo

Existem diferenças qualitativas importantes no cérebro bilíngue. Exames de neuroimagem mostram que, quando a pessoa domina mais de um idioma, seu cérebro é treinado e se torna capaz de melhorar o desempenho em solução de problemas, raciocínio flexível, criatividade e atenção. Essas são algumas das funções executivas da mente, que são habilidades cognitivas essenciais para o controle dos pensamentos, emoções e ações.

Expande o repertório cultural

Geralmente, as escolas ensinam a língua e também procuram criar oportunidades para que o aluno conheça melhor a cultura dos países onde ela é falada. Dessa forma, desde pequena a criança se familiariza com hábitos e costumes diferentes, expandindo sua bagagem cultural.

Também é natural que os falantes de um segundo idioma estabeleçam algum tipo de contato com pessoas desses países. Hoje em dia, com a mediação da tecnologia, essa aproximação é ainda mais fácil. Assim, a pessoa se comunica com outras de uma cultura e perspectiva de vida completamente diferentes. Isso pode ajudá-la a compreender outros pontos de vista, a desenvolver a empatia.

Melhora o relacionamento interpessoal

comunicação é a base do relacionamento interpessoal. Quando as palavras funcionam como uma ponte e não como uma barreira, é mais fácil as pessoas expressarem suas ideias, opiniões e visões de mundo, bem como entenderem o ponto de vista do outro.

Além disso, como já falamos no item anterior, o contato com outras culturas pode ajudar a desenvolver a empatia e o respeito pelas pessoas que adotam hábitos e visões de mundo diferentes. Dessa forma, a tendência é que a convivência se torne mais fácil.

Potencializa a memória

Podemos dizer que a memória do ser humano é “elástica”. Quando é treinada e exigida, ela aumenta sua capacidade de recuperar as informações no momento em que a pessoa precisa delas, ou seja, ocorre a potencialização do poder de evocação dos dados armazenados.

O estudo de línguas é um dos recursos para treinar essa memória. Pesquisas mostram que pessoas fluentes em diferentes idiomas obtêm desempenho superior em uma série de testes, como os que exigem nomeação de objetos. O tempo de resposta é menor e a atividade cerebral demonstra uma capacidade maior de ativação da memória nesses indivíduos.

Amplia as perspectivas para o mercado de trabalho

Em um mundo globalizado, muitas empresas já não operam apenas no mercado local. Trata-se de uma realidade que tende a se acentuar, visto que as organizações têm uma necessidade muito grande de estabelecer relações comerciais com outros países, seja como fornecedoras ou como compradoras.

Por isso, o profissional bilíngue tem mais oportunidades no mercado de trabalho, bem como maiores salários. Dominar outro idioma também abre as portas de programas de especialização e atualização em universidades estrangeiras. Portanto, essa é uma habilidade que contribui decisivamente para a formação de profissionais cada vez mais capacitados, o que é excelente para a carreira desses indivíduos e para o capital intelectual do país.

Ferramentas para potencializar a educação bilíngue

Além das aulas na escola, hoje em dia existem muitas ferramentas que potencializam a educação bilíngue. Por meio da tecnologia, é possível apresentar o conteúdo aos alunos de forma lúdica e interativa.

As plataformas, jogos e aplicativos facilitam a memorização de palavras e proporcionam recursos que ajudam as crianças a entenderem a estrutura de formação de frases e a treinarem a pronúncia. Alguns exemplos são o Duolingo, Memrise, Lingualeo, BBC Learn English, Busuu, entre outros.

A tecnologia não só torna o aprendizado de uma segunda língua mais lúdico. Quando o recurso utiliza os princípios da gamificação, por exemplo, as chances de ele despertar na criança o desejo de utilizá-lo também fora da escola se tornam maiores.

Assim, o tempo de exposição ao idioma aumenta, bem como a interação com a ferramenta. Como consequência, o processo de aprendizagem é acelerado.

Eficácia da educação bilíngue na infância

Finalmente, a educação bilíngue aproveita o melhor momento da vida de uma pessoa para o aprendizado de uma nova língua: a infância. A criança aprende o segundo idioma com mais facilidade que o adulto. Se a escola bilíngue ensina o inglês, por exemplo, os alunos que iniciaram o aprendizado muito cedo falam de uma forma muito mais natural do que quem buscou esse conhecimento mais tarde.

A explicação para isso é científica: entre dois e quatro anos de idade, o cérebro é mais plástico, ou seja, se adapta melhor à aprendizagem (inclusive de idiomas). Isso se deve à mielinização progressiva do circuito neural, o que faz com que esse fator biológico permita que a influência do ambiente sobre o desenvolvimento do cérebro seja mais forte na infância.

No entanto, mesmo em outras etapas da infância a aprendizagem de idiomas é mais fácil. Essa facilidade natural aliada a um bom método de educação bilíngue que dê preferência a atividades lúdicas e interativas é capaz de acelerar o domínio de uma segunda língua e fazer com que a criança se torne ainda mais fluente.

Quer ter acesso a outros conteúdos como este? Assine a nossa newsletter e receba sugestões de artigos relevantes para a área educacional diretamente em seu e-mail. Inscreva-se agora mesmo!

Compartilhe nas redes:

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.

Compartilhe nas redes: