EducaçãoEm busca do conteúdo perfeito

13 de abril de 2018

O Guten News é uma solução digital de apoio às escolas que estimula a leitura crítica nos alunos por meio de uma plataforma interativa. Ao falarmos de leitura, muitos a associam à disciplina de Língua Portuguesa. No entanto, o conteúdo do Guten News pode servir de base para várias disciplinas. A Diretora de Tecnologia e...

O Guten News é uma solução digital de apoio às escolas que estimula a leitura crítica nos alunos por meio de uma plataforma interativa. Ao falarmos de leitura, muitos a associam à disciplina de Língua Portuguesa. No entanto, o conteúdo do Guten News pode servir de base para várias disciplinas. A Diretora de Tecnologia e Coordenadora de Ciências do Colégio Liceu Jardim, Michele Rascalha, buscava justamente um conteúdo para trabalhar com suas turmas quando conheceu a Guten em um evento de escolas Associadas do PEA Unesco, em outubro de 2016. Desde o início do ano seguinte, o Liceu Jardim passou a adotar a Guten (News e Pro). Hoje, a plataforma é usada no Liceu Jardim por professores de Ciências da Natureza, História e Geografia, Artes e Língua Portuguesa. Fizemos um bate-papo com a educadora para entender como ela introduziu esse conteúdo e como o apresentou para os outros professores. Confira abaixo:

Qual era a sua demanda quando encontrou a Guten?
Na época, eu estava procurando uma alternativa para revistas. Nós estávamos usando aqui, só que nós tivemos alguns problemas – embora as revistas fossem boas –  por questão da assinatura. Na época, a gente usava uma revista muito boa, mas que dependia de cada família fazer a sua assinatura e isso acabou causando um pouco de confusão, uma certa desorganização. Nós tínhamos duas versões [da revista], a versão kids e a versão normal. A versão kids, às vezes era infantil demais e a versão normal, às vezes, era um pouco densa demais. Não conseguíamos encontrar um equilíbrio para a faixa etária. E aí, nós estávamos procurando uma alternativa. Então, nós tivemos alguns embates e a Guten apareceu como uma solução para isso e também porque nós já estávamos começando a discussão na questão do letramento digital na escola, que ficou mais forte neste ano e gera uma preocupação também de ajudar na questão da leitura no ambiente digital.

Por que você escolheu a Guten?
Então, o que eu gostei na Guten é que o texto é feito de uma forma que não compromete a atenção do aluno. Tem muitas versões online de revista que não são adaptadas para a leitura em ambiente digital, na verdade, parece que a revista foi escaneada e foi colocada ali e aí você começa a ficar passeando muito pela página, sobe, desce, aumenta, diminui zoom e isso compromete a atenção. Na Guten, não. Parece que você está lendo realmente uma página de um texto de Word. Então, isso facilita a atenção, facilita o entendimento. E quando eu vi que tinha as atividades para medir as habilidades de leitura, aí isso me interessou ainda mais. Trouxemos para a escola, fizemos uma apresentação para os professores, eles também gostaram da ideia.

Que turmas usam o Guten News no Liceu Jardim hoje?
Todas as turmas utilizam do 4º ao 9º ano. E aí, a própria escola, na sua taxa de matrícula, viabiliza essa assinatura. Então, você já consegue que haja uma organização melhor do acesso, não fica solto, como na época em que a gente usava a revista, que nem toda a família providenciou. Isso facilitou para a gente. É uma taxa que é super em conta no contexto de uma matrícula e já vem todo mundo com essa assinatura feita.

Essas turmas têm a obrigação de utilizar como parte da grade em uma frequência específica?
A frequência é livre. Utilizar é algo que hoje a gente já solicita ao professor e aí, no caso do Fund. I, a própria Diretora acompanha e eu também, por ser Diretora de Tecnologia Educacional. No Fund. II, eu acompanho e os coordenadores de área também. Por exemplo, eu sou Coordenadora de Área de Ciências, então eu acabo olhando duas vezes: olho o geral e olho do meu próprio grupo. No caso de Ciências – como a Guten é muito rica em conteúdo de Ciências da Natureza – a Guten entra inclusive como trabalho bimestral, então, as reportagens que o aluno vai lendo contabilizam no fim do bimestre para uma notinha para o aluno. Aí o professor pode escolher: dar a nota pela própria realização ou ele pode falar: “não, eu vou dar a nota pela realização, mas também pelo desempenho, pela pontuação do aluno”. Quando eu era professora, eu olhava as duas coisas, procurava verificar se o aluno teve um desempenho pelo menos razoável – porque quando o desempenho é muito baixo, é sinal de que o aluno não leu e até o tempo que ele ficou lendo a gente consegue ver na Guten, aí eu não atribuía nota ou atribuía uma nota mais baixa.

Qual foi a receptividade por parte dos professores?
Então, dependendo do professor, às vezes, ele pode ser um entusiasta, ou não. Onde eu percebo que existe alguma resistência, não é em passar as leituras de texto e fazer os alunos realizarem as atividades, eu percebo uma resistência maior em olhar os relatórios, que isso é a parte mais trabalhosa, então, aí é uma cultura realmente que a gente está criando para o professor realmente utilizar como uma aliada para medir as habilidades de leitura do aluno.

Mas o relatório é um facilitador ou o trabalho é o mesmo que você teria sem a plataforma e com as revistas que vocês usavam?
Facilita muito! Não tem nada a ver… Com as revistas, nós tínhamos uma noção de como os alunos entendiam [os textos] pelo seminário, mas o seminário, às vezes, é um pouco vago, porque cada aluno fala um pouquinho, porque eles estão em grupo e muitas vezes você não consegue medir o quanto da leitura eles conseguiram captar. Você percebe, por exemplo, que eles entenderam a mensagem, mas se eles tivessem dificuldades específicas com alguma habilidade de leitura, isso era impossível de medir através de um seminário. Então, o relatório, eu acho que ele é bárbaro. Muito legal!

Que dica você daria a um gestor de área que quer introduzir o Guten News para os professores?
Eu acho que [é mais fácil introduzir] pelo caminho da importância da Guten para trabalhar com atualidades na escola. Porque eu acho essa que é uma linguagem que os professores entendem melhor. Eles sabem o quanto é difícil você trabalhar com atualidades especialmente no Fund. I, no Fund. II, porque se você traz um jornal para o aluno ou uma revista qualquer, tem a questão da linguagem. Nem tudo o que está no jornal é adequado para uma criança ver. Às vezes, o texto é muito denso, tem um vocabulário que aluno ainda não entende. Eu acho que a Guten é um material de atualidades que respeita a linguagem deles. E não tem aquele perigo de “ai meu deus, o que é que o meu aluno vai ver nessa edição?”. Foi o caminho que eu fiz aqui, que era a necessidade de a gente ter um bom material de atualidades que não desse tanto trabalho para a gente quanto as revistas físicas acabam dando pelo processo de assinatura, de linguagem, e porque ela traz atualidade em sala de aula de uma forma adaptada para escola, é uma linguagem mais escolar. Para mim essa é a dica.

 

 

Compartilhe nas redes:

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.

Compartilhe nas redes: