EducaçãoComo falar sobre homossexualidade com crianças

17 de agosto de 2017

Falar sobre sexualidade com crianças pode ser bem complicado tanto para pais como para professores. Falar de orientação sexual é ainda mais difícil para alguns, já que o tema é tabu em algumas famílias e a questão está carregada de estereótipos e preconceito. Não deveria ser assim. A sexualidade é parte intrínseca e natural do...

Falar sobre sexualidade com crianças pode ser bem complicado tanto para pais como para professores. Falar de orientação sexual é ainda mais difícil para alguns, já que o tema é tabu em algumas famílias e a questão está carregada de estereótipos e preconceito.

Não deveria ser assim. A sexualidade é parte intrínseca e natural do ser humano, e o indicado é tratá-la naturalmente quando as crianças se interessarem pelo tema. Não é bom desconversar ou brigar com seu filho ou aluno quando ele tocar no assunto. Isso vai apenas estigmatizar a sexualidade dentro da cabeça dele. O ideal é responder naturalmente o que foi perguntado, de maneira simples e na mesma linguagem que você utiliza para conversar com ele normalmente.

Quanto à homossexualidade, é muito importante que os pais e professores procurem não reproduzir os preconceitos da sociedade sobre o tema. É importante que a criança entenda desde cedo que existem pessoas que se sentem atraídas por outras pessoas do mesmo sexo. Não adianta fugir do assunto, já que a criança em algum momento vai ter contato com ele, seja na rua, na família, na escola, na televisão, internet ou em qualquer outro lugar. Deixar de falar sobre orientação sexual com o seu filho ou aluno não vai fazer a homossexualidade desaparecer.

Então vamos à algumas dicas sobre como abordar este assunto com os pequenos:

Respeite o tempo da criança

Não há idade certa nem fórmula para falar sobre a homossexualidade. O ideal é esperar até que a criança tenha curiosidade sobre o tema e pergunte sobre ele. Não se antecipe – responda naturalmente apenas o que ela perguntou. A partir da sua resposta, pode ser que surjam novas dúvidas, e é importante que esse processo de reflexão aconteça. Pode ser que ela te peça mais informações caso ache importante. Embora não haja um momento certo, a linguagem usada para responder a pergunta deve levar em consideração a idade do seu filho ou aluno. Falar sobre homossexualidade com uma alguém de seis anos requer uma linguagem diferente do que falar de homossexualidade para alguém com onze anos.

Seja honesto e não fuja

Não adianta mentir se a criança vai descobrir a verdade na internet, na escola ou com algum coleguinha. E pior, se você fizer isso, ela provavelmente não vai querer mais conversar com você sobre as dúvidas que tiver no futuro.

Cuidado com o preconceito

A criança precisa desde cedo aprender a respeitar as diferenças entre as pessoas, e os pais e professores devem estar preparados para isso. Portanto, o importante, na verdade, é justamente não focar na diferença, mas no que há em comum. Ao explicar um relacionamento homossexual para uma criança pequena, basta dizer que são pessoas que se amam e que resolveram ficar juntas num relacionamento. Pode ser que ela queira saber se isso é certo, ou porque existem pessoas homossexuais. Nessas horas é preciso ter muito cuidado para não projetar os preconceitos sociais e pessoais na resposta. A propagação de preconceitos é prejudicial para todos, inclusive para a criança, e pode gerar bullying dentro das escolas com os coleguinhas que não se encaixam nos padrões da sociedade.

Para os professores

É essencial que os professores e as escolas demonstrem que as pessoas são muito diferentes entre si, em todos os aspectos, e que isso é natural e deve ser respeitado. Muitas vezes a família do aluno é preconceituosa e ele acaba levando este preconceito para a escola. Nestes casos, o papel do professor é preponderante para tentar reverter esta tendência. O ideal é que a instituição tente conversar com os pais para mostrar a eles as consequências negativas que o preconceito pode ter sobre a vida de seu filho e de seus coleguinhas.

Compartilhe nas redes:

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.

Compartilhe nas redes: