EducaçãoBNCC nos currículos escolares: confira dicas de como aplicar

7 de junho de 2021

A BNCC é um documento normativo que define o conjunto de habilidades essenciais e progressivas para cada segmento escolar. Por isso, ela deve servir como norteador dos currículos das escolas públicas e privadas do país. As diferentes áreas do conhecimento trabalhadas na Educação Básica têm definidas as competências que devem ser desenvolvidas pelos estudantes ao...

A BNCC é um documento normativo que define o conjunto de habilidades essenciais e progressivas para cada segmento escolar. Por isso, ela deve servir como norteador dos currículos das escolas públicas e privadas do país. As diferentes áreas do conhecimento trabalhadas na Educação Básica têm definidas as competências que devem ser desenvolvidas pelos estudantes ao longo da escolaridade.

Portanto, a BNCC é um documento que deve servir de guia para a elaboração dos diferentes currículos. Além disso, as especificidades de cada região e escola devem também ser respeitadas. No seu texto de Introdução o documento afirma que “(…) os currículos da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e do Ensino Médio devem ter base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e em cada estabelecimento escolar, por uma parte diversificada, exigida pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e dos educandos” (BRASIL, 1996; ênfase adicionada).

Para implementar a BNCC nas escolas, gestores têm investido tempo do planejamento com suas equipes no estudo das competências gerais e específicas de cada área. Desse modo,  garantem que as escolhas didáticas, os materiais pedagógicos, as metodologias e avaliações proponham o desenvolvimento de estudantes competentes e capazes de construírem uma sociedade justa, democrática e ética. 

Pretendemos aqui apresentar como tem sido a implementação da BNCC em duas escolas parceiras: uma rede particular no Rio de Janeiro, e a rede pública estadual do RS.

Projetos, Concursos e Campanhas na implementação da BNCC

O Colégio Miraflores, escola particular do Rio de Janeiro, trabalha com os segmentos da Educação Infantil e os anos iniciais do Ensino Fundamental e já adotava o trabalho com projetos. Com isso, levavam os alunos da primeira infância a se questionarem e experimentarem dentro da rotina pedagógica. Com a demanda de implementação das normas previstas na BNCC,  esses projetos inovadores foram atrelados aos campos de experiência propostos no documento:

  • o eu, o outro, e o nós;
  • corpo gestos e movimentos; 
  • traços, sons, cores e formas; 
  • escuta, fala, pensamento e imaginação; 
  • espaço, tempo, quantidades, relações e transformações.

Para o Ensino Fundamental, o planejamento prioriza o “respeito à individualidade de cada aluno e há a preocupação em articular experiências previamente vividas na Educação Infantil”, ressalta Jane Lima, diretora pedagógica da escola. Ela frisa ainda a importância de sistematizar conhecimentos, propondo reflexão sobre si e sobre o mundo, direcionada para as dez competências gerais da BNCC. Além disso, o planejamento deve ser  articulado com as habilidades de cada área do conhecimento.

Para planejar essas ações, os gestores e educadores investem em Projetos Interdisciplinares, Campanhas Solidárias e concursos de Produção Textual, entre outras iniciativas. Com isso, os alunos são desafiados de modo prático e contextualizado. Jane explica que a BNCC reforçou o convite para que a escola continue sendo um espaço de novas ofertas e oportunidades para as crianças. 

Formação de professores e ampliação do letramento digital

A Rede Estadual do Rio Grande do Sul também investe no planejamento do currículo e formação de professores para a implementação da BNCC. Letícia Grigoletto, diretora do Departamento Pedagógico da SEDUC, nos explicou que a pandemia acelerou as tomadas de decisão sobre a flexibilização do currículo e das propostas pedagógicas. As ações feitas tiveram como foco a implementação do modelo híbrido, para que todos pudessem continuar com acesso às aulas e materiais. Assim, iniciativas de formação da equipe docente, aquisição de novas redes de internet e equipamentos foram os focos da Secretaria de Educação do RS. 

Para dar conta da implementação da BNCC e ainda em um estado de escola remota, foi preciso formar os professores, fazer um diagnóstico de maturidade digital da equipe docente e estudantes, formação em letramento e fluência digital para que pudessem “lidar com a coexistência do digital e do físico”. Os documentos oficiais como o Referencial Curricular Gaúcho e a BNCC pautaram as mudanças. O exercício feito pelos docentes e gestores foi selecionar as habilidades essenciais para 2020 e 2021. 

Por fim, Letícia realça que para a implementação da BNCC o  foco deve estar na formação de professores, e que as ações macro com o currículo, Projeto Político Pedagógico e Regimento Escolar têm que ser coerentes e afinadas entre si.

Para saber mais: Para exemplificar algumas possibilidades, trouxemos em post anterior aqui em nosso blog, um artigo em que apresentamos as propostas da BNCC, sobre a Educação Integral e o Novo Ensino Médio. 

Esperamos que tenha gostado do nosso conteúdo, com os exemplos reais da aplicação da BNCC nas escolas. Você pode conferir também nosso canal do YouTube mais conteúdos!

 

download de material

Compartilhe nas redes:

Leitura transforma

Siga a Árvore nas redes sociais /leianaarvore

   

Copyright © 2021 Árvore. Todos os direitos reservados.

Compartilhe nas redes: